Componentes das unidades do Vivendo Valores

Há 12 unidades de valores no livro ‘Atividades com Valores para Crianças de 7 a 14 anos’. Cada unidade leva em conta o bem-estar de estudantes resistentes e marginalizados além dos demais. A sequência de atividades visa maximizar o envolvimento completo a fim de gerar menos resistência, tornando o valor relevante e benéfico para o estudante e sua vida. Por exemplo, ler para os estudantes sobre não brigar na escola é um método ineficaz para criar paz e respeito e pode servir para aumentar a apatia ou ressentimento de estudantes já marginalizados. Mas começar uma lição em paz com um exercício de imaginação motiva a criatividade natural de todos os estudantes. Se eles desenvolvem uma voz pela paz, eles estão mais empoderados para discutir os efeitos da paz e da violência. Cada unidade começa estimulando valores e dando a eles significado e relevância.

Em geral, os valores são ensinados apenas no nível da consciência sem construir o entendimento cognitivo e as habilidades sociais e emocionais importantes para conseguirmos “vive-los”. Por essa razão, é recomendado que os educadores usem todas ou quase todas as lições encontradas em cada unidade de valor que querem que os estudantes explorem. Eles se tornam mais propensos a desenvolver um amor pelos valores e a se comprometerem mais para implementá-los se explorá-los em vários níveis e desenvolverem as habilidades pessoais e sociais que permitam a eles experimentarem os benefícios de viverem esses valores. Como os conhecimentos e necessidades dos estudantes variam, sintam-se livres para adaptar as atividades de acordo com o seu estilo e as necessidades deles.

Uma lição sobre valores pode ser apresentada em várias situações de aprendizagem. Os educadores são encorajados a relacionar valores aos conteúdos das matérias que eles estão ensinando ou em eventos relevantes. Por exemplo, uma lição sobre valores pode ser incluída em Literatura, História etc. ou em resposta a notícias locais ou mundiais que interessem aos alunos.

Estímulos de valores

Cada unidade VIVE começa com um estímulo de valores. Os três tipos de estímulos de valores nos modelos são: receber informação, refletir internamente e explorar valores no mundo real.

1 – Recebendo informação

Essa é a maneira mais tradicional de ensinar valores. Literatura, histórias e informação cultural fornecem fontes ricas para exploração sobre valores. O VIVE cuida para que as histórias disponibilizadas tenham conteúdos que permitam desenvolver um valor positivo. Histórias de fracassos por causa de um antivalor são instrutivas nesta idade se elas forem consideradas socialmente relevantes pelos estudantes. É importante também criar motivação através de exemplos positivos de pessoas que são bem-sucedidas por meio dos valores. Pede-se aos educadores para buscar literaturas ou meios de comunicação relevantes que eles sintam ter relação com os estudantes e que ajudem estes estudantes a verem o efeito e a importância de valores em suas próprias ações.

Dentro de cada unidade existem pontos de reflexão que fornecem informações sobre o significado do valor a ser explorado. Os pontos reflexivos estão no início de cada unidade e são incorporados às lições.

“Entender a essência dos valores é essencial para ensiná-los se quisermos que os estudantes desenvolvam princípios elevados por toda a vida” (Thomas Lickona, 1993).

Os pontos de reflexão são de natureza universal e estabelecem uma perspectiva interdependente da importância da dignidade de cada um e do respeito por cada um e por todos. Por exemplo, um ponto na unidade sobre respeito é: Todos no mundo têm o direito de viver com respeito e dignidade, inclusive eu. Um ponto de reflexão sobre tolerância é: Tolerância é ser aberto e receptivo à beleza das diferenças. Essa perspectiva universal é importante se nós quisermos criar um mundo melhor para todos.

O professor pode acrescentar algumas de suas reflexões ou usar dizeres favoritos da cultura da comunidade e de figuras históricas. Os estudantes podem produzir pontos de reflexão ou pesquisarem seus dizeres favoritos.

2 – Refletindo internamente

Atividades de imaginação e reflexão levam os estudantes a criarem suas próprias ideias. Por exemplo, os estudantes são levados a imaginar um mundo pacífico. Visualizar valores em ação faz com que estes valores sejam mais relevantes para os estudantes, pois assim eles encontram um lugar dentro deles onde podem criar essa experiência e terem ideias que eles sabem que são deles. O processo de criação, apropriação e senso de esperança são essenciais se os estudantes estão motivados a viver seus valores.

Exercícios reflexivos levam os estudantes a pensar sobre suas experiências em relação aos valores. Os estudantes também são levados a refletir sobre aspectos diferentes em uma outra etapa dentro das lições. É importante para os estudantes que eles sejam capazes de desenvolver reflexões e sejam capazes de discernir e aplicar valores em situações específicas.

3 – Explorando valores no mundo real

Algumas atividades VIVE usam jogos, situações reais, notícias ou o conteúdo de uma matéria para iniciar a lição. Eventos locais e nacionais podem interessar aos alunos. Por favor, procurem áreas que eles têm interesse ou preocupação, seja bullying, pobreza, violência, drogas ou a doença ou morte de um colega de classe ou vizinho. Promover um espaço para conversar sobre essas preocupações é útil e permite um diálogo significativo sobre o efeito de valores e antivalores e como nossas ações fazem a diferença.

Diálogo – Compartilhamento Significativo e Válido

Criar um espaço aberto e respeitoso para diálogo é uma parte importante do processo. O compartilhamento é significativo e válido. Falar sobre sentimentos em relação a questões de valores pode clarear pontos de vista e desenvolver empatia. Diálogos em um ambiente favorável podem ser curativos. Estudantes que são quietos podem experimentar que outros têm o mesmo ponto de vista. A timidez pode diminuir quando os estudantes descobrem que outros sentem o mesmo. Crianças que pensam que todos têm o mesmo ponto de vista podem aprender algo. Aqueles que praticam “bullying” podem descobrir o que os outros pensam sobre seu comportamento.

O processo de diálogo é também um espaço onde cada negatividade pode ser aceita e pesquisada. Quando isso é feito com respeito genuíno, os estudantes começam a reduzir as defesas sobre a sua negatividade. Quando os valores positivos por debaixo da negatividade são entendidos e validados, um estudante pode se sentir valioso e gradualmente ele/ela pode experimentar a liberdade de agir de forma diferente.

Em muitas das atividades do VIVE, são colocadas questões para diálogo. Algumas delas são para questionar sobre sentimentos, outras são para abrir o processo de exploração cognitiva e a geração de alternativas. Os educadores podem usar as perguntas para analisar assuntos emocionais importantes ou entendimentos alternativos. Sinta-se livre para adaptar as perguntas de acordo com seu estilo pessoal e a linguagem local.

Uma das razões pela qual o VIVE pode ser usado em muitas culturas é que as perguntas são abertas. Por exemplo: “Como você dá respeito a seus pais?” pode ser respondida diferentemente em diferentes culturas, apesar de o resultado desejado ser o mesmo. No decorrer das atividades existem apenas uma ou duas perguntas com resposta absoluta “certa”. A pergunta mais importante é: “Está ok magoar os outros?”. A resposta VIVE é “não”. Se uma resposta “sim” é dada, o educador explica por que não está ok magoar outros. As outras perguntas são abertas, permitindo aos estudantes discutirem valores e sua aplicação da maneira apropriada em sua cultura ou meio de vida. Os pontos reflexivos criam um padrão de dignidade e respeito ao redor de cada atividade que é construída.

Exploração de Ideias

Alguns diálogos são seguidos por autorreflexão ou planejamento em pequenos grupos em preparação para projetos de arte, jornalismo ou peças. Outros diálogos levam a fazer um mapa mental dos valores e antivalores. Esses métodos são úteis para visualizar os efeitos de valores e antivalores no eu, nas relações e em diferentes segmentos da sociedade. Contrastar os efeitos de valores é um passo importante para visualizarmos consequências em longo prazo. O mapa mental é também uma introdução a sistemas de pensamento.

Os diálogos são frequentemente um elo para atividades relativas aos efeitos dos valores em diferentes assuntos. As atividades de valores podem despertar interesses reais nos estudantes. Reconhecer suas paixões e facilitar a exploração do assunto é o tipo de ensinamento que permite aprendizado real e motivações intrínsecas maiores. É aí onde algumas questões do educador podem criar entusiasmo: “Por que você acha que isto acontece?” “Qual é a relação entre….?” “Que valor você acha que ajudaria a resolver esta situação?” “O que você acha que poderia ser feito?” “Como você poderia mostrar isso ao praticar o que fala?”.

Expressão criativa

As artes são mediadoras maravilhosas para os estudantes expressarem suas ideias e sentimentos criativamente e construírem valores por eles mesmos. Pode ser desenho, pintura, construir móbiles, jogos e murais combinados com performances. Dança, movimento e música permitem expressão e constroem um sentimento de comunidade. Por exemplo, pede-se aos estudantes para criarem slogans sobre paz e eles são colocados nas paredes; para fazerem esculturas sobre liberdade; desenharem a simplicidade e dançarem a cooperação. Assim que eles se engajam na proposta, eles devem se referir ao valor e perceber o que eles realmente querem dizer.

O processo criativo pode também trazer novos entendimentos e insights. O valor se torna mais significativo e se transforma em seu próprio valor. Um processo similar acontece quando se pede aos estudantes para escrever histórias criativas ou poesia. A conclusão e beleza dos produtos finais podem ser fontes de orgulho e agem para elevar a autoestima dos estudantes. Várias artes criativas podem servir para estudantes diferentes brilharem em momentos diferentes. Um clima escolar que permite a cada pessoa brilhar em momentos diferentes e através de diferentes modalidades propicia um lugar onde todos podem alcançar seu potencial.

A música é também um importante mediador. Ela pode agir não apenas para criar um senso de comunidade, mas pode ser curativa. Ofereça aos estudantes a oportunidade de criar canções sobre valores. Os educadores podem trazer músicas tradicionais de sua cultura ou da cultura presente no local e cantar essas canções com os estudantes. Os estudantes podem trazer músicas populares que contêm temas ou ideias sobre valores.

Desenvolvimento de habilidades

Não é suficiente pensar a respeito e conversar sobre valores, criar artisticamente ou até entender os efeitos dos valores. Habilidades emocionais e sociais são necessárias para sermos capazes de aplicar valores durante o dia. A juventude de hoje necessita cada vez mais ser capaz de experimentar sentimentos positivos em relação aos valores, entendendo os efeitos de seus comportamentos e escolhas em relação ao seu bem-estar e estar apta a desenvolver habilidades socialmente conscientes para tomar decisões.

Habilidades pessoais, sociais e emocionais

Existe uma variedade de habilidades interpessoais ensinadas nas atividades do VIVE. As unidades de paz, respeito e amor introduzem exercícios de relaxamento e foco. Esses exercícios ajudam os estudantes a sentirem os valores. Os educadores têm sentido que fazer esses exercícios ajuda os estudantes a se aquietarem, ficarem menos estressados e concentrarem-se com mais sucesso em seus estudos. Apesar de às vezes existir uma resistência inicial, normalmente essa resistência desaparece depois de diferentes tentativas. Nossa experiência tem sido que os estudantes começam a solicitar momentos de silêncio. Quando eles ficam familiarizados com essa estratégia, eles podem fazer seus próprios exercícios de relaxamento e foco. A habilidade de autorregular as emoções e o estresse é uma habilidade importante para a adaptação e a comunicação bem-sucedidas. A autorregulação e a automodulação ajudam uma pessoa a recobrar a calma mais rapidamente quando uma ameaça é percebida e estar apta a ficar mais pacífica no dia a dia.

Outras atividades do VIVE constroem um entendimento das qualidades positivas individuais, desenvolvem a crença de que “eu faço a diferença”, permitem a exploração de seus próprios sentimentos e o aprendizado sobre os sentimentos de outros e aumentam a autoconversa positiva e a reponsabilidade. Pede-se aos estudantes para aplicar essas habilidades de diversas maneiras.

Habilidades de comunicação interpessoal

As habilidades para se desenvolver a inteligência emocional estão no conjunto de atividades acima. As atividades que constroem entendimento sobre ficar magoado, sentir medo e raiva e suas consequências nos nossos relacionamentos com outros também contribuem para desenvolver a inteligência emocional.

As habilidades para resolução de conflitos, a comunicação positiva, os jogos cooperativos e a realização de projetos são atividades que constroem habilidades de comunicação interpessoal. As habilidades de resolução de conflitos são introduzidas durante a unidade Paz e reforçadas durante a unidade Respeito e Amor. Durante a unidade Amor, pede- se aos estudantes para pensarem quando um problema começou e imaginarem o que teria acontecido se eles tivessem usado o valor Amor. O desenvolvimento de habilidades cognitivas e de prever as possíveis consequências leva os estudantes a pensarem por si em circunstâncias difíceis. Os educadores são encorajados a criar a oportunidade para os estudantes serem gerenciadores da resolução de conflitos.

As encenações dos estudantes são uma oportunidade de explorar diferentes situações que eles têm interesse. Eles podem também criar os próprios exemplos de situações. Na unidade de Cooperação, pede-se aos estudantes para adaptar suas sugestões para boas habilidades de comunicação depois dos jogos. Uma habilidade na unidade de Tolerância é criar assertivamente respostas benevolentes quando outros estão fazendo comentários discriminatórios. Combinar criatividade com diálogo e prática ajuda os estudantes a se sentirem confortáveis para usar as novas habilidades, aumentando a probabilidade de que eles a usem.

Sociedade, meio ambiente e o mundo

Para ajudar os jovens a serem capazes de contribuir com a sociedade mais ampla com respeito, confiança e propósito, é importante para eles entenderem as implicações práticas dos valores nos relacionamentos com a comunidade e com o mundo. Um valor pode ter um enorme efeito no bem-estar de uma comunidade e na justiça social. Algumas atividades constroem a percepção emocional e entendimento cognitivo dessa relação. Por exemplo, os estudantes podem fazer um mapa mental dos efeitos de um mundo de amor e de um mundo sem amor, fazer o mapa mental dos efeitos da honestidade versus corrupção, explorar os efeitos da corrupção no bem-estar de diferentes países e coletar exemplos e histórias de tolerância e intolerância.

A meta de desenvolver coesão social é constante em todo o material. As unidades de Tolerância, Simplicidade e Unidade trazem elementos de responsabilidade social que são interessantes e divertidos. Os estudantes exploram a variedade de culturas usando as cores do arco-íris como uma analogia. A unidade de Simplicidade inclui sugestões para conservação e respeito pela terra. Mais atividades estão em Vivendo Valores Ecológicos.

Transferência de aprendizado – Integrando valores na vida

O tema “integrando valores na vida” refere-se aos estudantes utilizarem comportamentos baseados em valores em suas vidas, com sua família, sociedade e o meio ambiente. Por exemplo: as ‘atividades de lição de casa VIVE’ aumentam a probabilidade de os estudantes terem novos comportamentos positivos em suas casas. Pede-se aos estudantes para criarem projetos especiais que exemplifiquem diferentes valores na sala de aula, na escola e/ou na comunidade. Pais e empresas podem ser envolvidos em pesquisas, por exemplo, ajudando os estudantes a entender o plantio de alimentos orgânicos, como limpar um córrego e auxiliar na promoção de empreendimentos e habilidades de liderança ética. Os estudantes são motivados a compartilhar sua música e peças criativas com seus colegas e estudantes mais jovens. Por favor, envolvam seus estudantes em projetos de aprendizagem de serviço social. A habilidade para fazer a diferença constrói confiança e comprometimento com valores.