PONTOS DE REFLEXÃO

  • A simplicidade é natural. Simplicidade é ser natural.
  • Simplicidade é aprender com a Terra.
  • A simplicidade é bonita.
  • Simplicidade é usar o que já temos e não desperdiçar o material da Terra.
  • A simplicidade é relaxante.
  • A simplicidade ajuda a criar um desenvolvimento sustentável.
  • Simplicidade é permanecer no presente e não tornar as coisas complicadas.
  • Simplicidade é desfrutar de uma mente e um intelecto puros.
  • A simplicidade nos ensina a economizar – ensina-nos como usar nossos recursos de forma inteligente, mantendo em mente as futuras gerações.
  • Simplicidade é oferecer paciência, amizade e encorajamento.
  • Simplicidade é apreciar as pequenas coisas da vida.
  • Simplicidade é libertar-se dos desejos materiais e emocionais – é permissão para simplesmente “ser”.
  • A partir da simplicidade desenvolvem-se a generosidade e o compartilhamento.
  • Simplicidade é priorizar os outros com bondade, sinceridade e intenções puras – sem condições e expectativas.
  • Simplicidade é aprender com a sabedoria das culturas nativas.
  • A simplicidade apela ao instinto, à intuição e à percepção pela criação de pensamentos e sentimentos empáticos.
  • Simplicidade é apreciar a beleza interna e reconhecer os valores de todos os atores, mesmo os mais carentes e em situações piores.
  • A simplicidade nos ensina a economizar e como usar nossos recursos de forma inteligente, mantendo em mente as futuras gerações.
  • A simplicidade invoca as pessoas para repensar seus valores.
  • A simplicidade questiona se estamos sendo induzidos a adquirir produtos desnecessários. Seduções psicológicas criam necessidades artificiais. O desejo estimulado pela busca de coisas desnecessárias resulta em conflitos de valores complicados pela ganância, pelo medo, pela pressão dos grupos e por um falso senso de identidade. Uma vez que a satisfação de necessidades básicas permite um estilo de vida confortável, extremos e excessos convidam à indulgência e ao desperdício.
  • A simplicidade ajuda a reduzir a lacuna que há entre o “ter” e o “não ter”, ao demonstrar a lógica da verdadeira economia para ganhar, poupar, investir e compartilhar os sacrifícios e prosperidade, de modo que possa haver melhor qualidade de vida para todas as pessoas, independentemente de onde nasceram.
A cópia e publicação destes textos é autorizada mediante a divulgação da seguinte fonte:
Fonte: 
TILLMAN, Diane - Atividades com Valores para Crianças de 3 a 6 anos *, Editora Brahma Kumaris, São Paulo, 2005. 
TILLMAN, Diane - Atividades com Valores para Crianças de 7 a 14 anos *, Editora Brahma Kumaris, São Paulo, 2005.  
TILLMAN, Diane - Atividades com Valores para Jovens *, Editora Brahma Kumaris, São Paulo, 2005. 

VIVENDO VALORES NA EDUCAÇÃO - www.vivendovalores.org.br

* estes livros atualmente não estão disponíveis em português, mas em breve uma nova versão estará disponível neste site na seção Biblioteca Arco-Íris.

Compartilhar esta página: